Breadcrumbs

O clitóris visto de perto

O CLITORIS VISTO DE PERTO

O que é o clitóris, porque existe, e qual a melhor forma de o estimular? A educadora sexual Alix Fox responde às questões mais importantes sobre o “botão mágico”…

O clitóris é uma parte da anatomia feminina verdadeiramente fantástica, com incrível potencial para fazer alguém sentir-se incrível!

No entanto, ao longo dos anos, e porque a sociedade injusta e infelizmente deu maior importância à satisfação sexual dos homens do que à das mulheres, o clitóris foi marginalizado pela ciência. Os investigadores só recentemente começaram a examinar em profundidade a sua estrutura e propriedades - e descobriram algumas coisas fascinantes sobre como ele é composto, como funciona e como atingir orgasmos clitorianos.

Além disso, como começou a haver uma maior igualdade nas atitudes e começámos a perceber a importância da igualdade sexual e de #OrgasmsForAll, tornou-se menos tabu para as mulheres partilhar informações sobre quais os estilos de masturbação clitoriana que as fazem chegar ao orgasmo mais facilmente. Hoje, temos mais conhecimento que nunca sobre as diferentes técnicas que podem produzir um orgasmo clitoriano!

Curiosa para saber mais? Então considera este artigo um pedaço de 'cliteratura' obrigatória...

O que é o clitóris? Onde é o clitóris? O que faz?

  • Em primeiro lugar, o clitóris não é assim tão pequeno como possas imaginar.

A parte do clitóris que consegues realmente ver é encontrada no topo dos lábios (as dobras externas e internas da pele que compõem a vulva - a genitália externa da mulher).

Parece um pequeno "botão" - oficialmente chamado de glande - que varia de tamanho, mas geralmente é comparável a uma pequena ervilha. Há uma capa protetora de pele macia sobre a sua parte superior, chamada de capuz ou prepúcio, que pode ser puxada delicadamente para trás para expor completamente o clitóris. Alguns clitóris saem naturalmente de dentro do capuz; outros estão inteiramente escondidos debaixo dele.

Para além dessa parte visível, sabemos agora que há uma porção muito maior do clitóris que está dentro do corpo de uma mulher.

As duas "pernas" finas do tecido eréctil - crus clitoris - provêm de ambos os lados da glande, assim como duas colunas mais espessas – bolbo clitoriano ou vestibular - que estão depositadas na carne à volta da vagina. Durante a excitação, esses bolbos enchem-se de sangue, o que pode fazer com que a vulva pareça "inchada", aumentando a sensibilidade da área. A glande do clitóris pode tornar-se mais pesada e mais dura também, e ficar de rígida e ereta - quase como um pénis em miniatura, que vamos ver mais tarde...

  •  Cresce com o tempo, também.

O clitóris aumenta à medida que uma mulher vai amadurecendo. As hormonas libertadas durante a puberdade iniciam o processo e pela altura do final da adolescência o clitóris já é 1,8 vezes maior do que era na altura do nascimento. Para uma mulher de 30 anos, é quatro vezes maior; Após a menopausa, é sete vezes maior. Essas mudanças não são tão dramáticas como aparentam pela descrição uma vez que, para começar, a parte externa do clitóris é mesmo muito pequena.

  • É o equivalente a um pénis feminino.

Tanto os clitóris como os pénis iniciam a sua vida da mesma forma – como uma minúscula elevação num embrião humano chamado tubérculo genital.

Se o embrião transporta um cromossoma Y e é do sexo masculino, então a elevação desenvolve-se num pénis. Se o embrião tem dois cromossomas X e é do sexo feminino, então a elevação torna-se num clitóris.

Uma vez que ambos os conjuntos de genitais começam da mesma forma, têm algumas semelhanças: a glande do clitóris é semelhante à cabeça de um pénis; e o capuz é um pouco como um prepúcio. Isso também ajuda a explicar a razão dos clitóris poderem ficar eretos.

  • A sua função principal é dar prazer.

Enquanto os homens usam os seus pénis para urinar, bem como para ejacular, os clitóris têm apenas uma função principal: fazer as mulheres sentirem-se incríveis!

Os cientistas ainda hoje discutem a possibilidade do clitóris desempenhar papéis adicionais na reprodução ou no bem-estar, mas os profissionais são unânimes em concordar que o trabalho principal do clitóris é simplesmente fazer as mulheres sentirem-se bem.

Como faço para ter essas sensações? Como devo masturbar o clitóris?

Não há dois clitóris (ou mulheres, ou orgasmos) que sejam exatamente iguais, por isso o tipo de toque que faz uma mulher delirar de prazer pode até ser desagradável para outra. Algo que faz a terra girar para alguém pode deixar a outra pessoa completamente estática.

Dito isto, muitas mulheres relatam que o seguinte conjunto de técnicas funciona com elas, por isso experimenta-as, ou pede ao teu parceiro as para experimentar contigo.

  • Tic tac, tic tac, é hora de experimentar o “relógio clitoriano”

Imagina um relógio posicionado no teu clitóris com o número 12 em cima, a apontar para o teu umbigo. Algumas mulheres descobrem que têm um ponto sensível na localização das 11 horas ou da 1 hora. Algumas conseguem mesmo sentir um pequeno recorte ou “bolsa” na carne, onde o clitóris se junta ao capuz.

Acariciar repetidamente a partir da base do clitóris sobre este ponto pode fazer-te sentir bem, especialmente se usares a ponta do teu dedo, e começares devagar - imaginando que esfregas a tua pele com um pó fino que não queres tirar. Continua delicadamente, ou aumenta a pressão como desejares. Podes em breve perder a noção do tempo...

  • Toca no V

Usa dois dedos em forma de V, e fá-los deslizar para cima e para baixo, de cada lado do clitóris. Isto fará com que o capuz se mova para trás e para a frente, o que pode fazer com que te sintas fantástica.

Intensifica as sensações com um tubo de lubrificante como o Durex Play Original, ou adiciona umas gotas de gel Durex Intense Orgasmic para obteres sensações de formigueiro, calor ou calafrios que ajudam a intensificar a experiência.

  • Brinca e atrasa, volta a brincar a volta a atrasar…

"Edging" é o processo de te levares ao momento em que estás prestes a ter um orgasmo, e parares um pouco antes de voltares lá novamente, uma e outra vez, até não aguentares mais. Atrasar o orgasmo desta forma permite que os tecidos do clitóris tenham tempo de inchar, para além de ir acumulando antecipação – para que quando te vieres, o teu orgasmo seja extremamente vigoroso.

Vive a vida no limite!

Alix Fox

Alix Fox é uma jornalista premiada, locutora de rádio e educadora sexual. Apresenta o podcast sobre sexo do The Guardian -“Close Encounters”; é conselheira sexual residente no programa de televisão Modern Mann; e é consultora de sexo e relacionamentos na Durex. Podes encontrar artigos da Alix em publicações como Marie Claire, Glamour, Cosmo, LOOK, Time Out, Vogue, The Independent e muito mais, e colabora frequentemente com a Brook, um programa de caridade que trata a saúde sexual. Acredita fervorosamente que as conversas sobre sexo devem ser abertas e honestas e acha que todos deveriam ter acesso a informação fiável ​​que os ajude a tornarem-se pessoas mais livres, saudáveis ​​e sexualmente felizes.