Breadcrumbs

Como atingir o orgasmo: aprende a conhecer-te…

APRENDER A
CONHECER-TE…

Um pequeno guia sobre o prazer feminino, a autoexploração e o autoconhecimento, da especialista em sexo Alix Fox

Mulheres, querem saber qual a chave secreta para tirarem o maior partido das vossas relações sexuais? Conheçam-se.

Estar familiarizada e confortável com o teu próprio corpo é o primeiro passo. Aprender quais as partes que te fazem sentir melhor quando tocadas, e que tipo de toque te sabe melhor. No fundo, é tornares-te uma M.A.C – a Melhor Amiga do teu Corpo.

Não há duas mulheres iguais. A masturbação e a autoexploração são vitais para descobrires a forma como te estimulas – o que te excita e o que não te excita. Assim que descobrires como te divertes por ti e para ti mesma, é mais fácil teres experiências sexuais com o teu parceiro que te satisfaçam e te façam brilhar.

No entanto, apesar da importância do auto prazer, a maioria de nós nunca foi ensinada a explorar-se a si mesma. E mesmo que já te masturbes regularmente ou que estejas a ter relações sexuais incríveis, ainda assim é saudável procurar novas formas de prazer, principalmente porque os nossos corpos mudam ao longo do tempo. Aqui estão algumas sugestões sobre como começares a tua própria viagem de felicidade pessoal…

Reflete sobre as coisas

Dá uma vista de olhos nos teus órgãos genitais com um espelho de mão, ou senta-te em frente a um espelho de corpo inteiro para que tenhas as duas mãos livres para explorares o teu corpo. Usa um diagrama se precisares de ajuda para identificar o que é o quê.

Muitas mulheres nunca viram os órgãos genitais femininos de perto. Imagens pornográficas são alteradas digitalmente para que sejam simétricos e pareçam perfeitamente cuidados, o que não é representativo da maioria do espectro do aspeto real do órgão sexual feminino, por isso pode ser difícil saber o que é “normal”. A verdade? Todos os tipos são normais! E cada um tem o seu poder e potencial para que te sintas maravilhosa. Quanto maior for o amor que sentes por aquilo que tens, maior é a probabilidade de te sentires maravilhosa.

Entra em contacto contigo

Com os dedos, descobre como te sentes ao tocares nas diferentes partes do teu corpo e com diferentes tipos de toque, tanto do lado de fora como do lado de dentro. Para muitas mulheres, acariciar e esfregar o clitóris na diagonal é maravilhoso, mas não há movimentos errados – tenta fazer uma combinação de movimentos para encontrares o que melhor se adequa ao teu corpo, uma vez que existem truques diferentes, para raparigas diferentes!

Experimenta movimentos em que tocas levemente no teu clitóris, ou faz pequenos círculos à volta com a ponta dos dedos, intercalados com movimentos rápidos ou pequenas beliscadelas para te dar aquela pontada excitante. Experimenta fazer cócegas suaves nos teus lábios vaginais com as pontas dos teus dedos, depois vai dando palmadas na área, intercaladas com pressão, para encorajar o sangue e a sensibilidade a fluir. Varia entre toques leves e firmes. Diverte-te! Tudo o que parece certo, está certo.

Assim que encontrares uma combinação de movimento + localização em que te sintas fantástica, continua. Muitas mulheres precisam de estímulos repetitivos e consistentes até atingirem o orgasmo, por isso, quando descobrires um tipo de toque que te faz vibrar, descobre o que acontece se continuares a fazê-lo.

Leva o teu tempo

Estudos mostram que, embora as mulheres tenham tendência a demorar muito menos tempo a atingirem o orgasmo sozinhas do que com um parceiro, demoram mesmo assim cerca de 20 minutos a chegar a esse ponto, e não é incomum demorarem mais ainda.* Muitas mulheres pensam que não podem ter um orgasmo simplesmente porque ainda não deram uma oportunidade a si mesmas.

Não faças do ‘Grande O’ o teu maior objetivo

Não te foques apenas em tornar o orgasmo no objetivo da tua sessão. Desfruta do processo de descoberta, saboreando tudo o que te faça sentir bem. Estás numa busca, não a fazer um teste, por isso, se não atingires o orgasmo, não te preocupes.

Para além disso, preocupares-te demasiado com o facto de teres ou não um orgasmo pode fazer com que ele acabe por fugir!

Descobre se contrair te dá prazer

Contrair os músculos enquanto te masturbas pode aumentar as sensações de forma surpreendente. Experimenta entrelaçar ou dobrar e em seguida libertar os teus dedos dos pés; Contrai as tuas nádegas; Ou estica as tuas pernas para que fiquem tensas. Contrair e soltar de forma ritmada pode fazer com que te sintas bem.

Os músculos da zona pélvica podem ter um efeito particularmente forte no teu prazer sexual. Esses são os músculos que apertas quando urinas, de forma a parar o fluxo de urina. Experimenta apertar da mesma forma enquanto te tocas; deves sentir uma leve sensação de aperto estimulante dentro da tua vagina.

Muda a posição do teu corpo, não só onde e como te tocas…

Muitas mulheres deitam-se automaticamente de costas enquanto dão prazer a si próprias, mas da mesma forma que diferentes posições podem mudar a forma como sentes a penetração, alterar a posição do teu corpo pode também mudar o efeito da masturbação.

Experimenta ajoelhar-te como se estivesses a cavalgar o teu parceiro. Dobra-te sobre uma peça de mobília. Liberta as tuas pernas, ou prende uma na outra.

…e não te toques apenas entre as pernas

Como te sentes se puxares os teus mamilos, ou o teu cabelo? E que tal percorrer os dedos pela parte interior das tuas coxas ou pelo teu períneo: o pequeno espaço de pele entre a vagina e o teu ânus? E acariciar o pescoço ou as costas dos joelhos?

Colocar uma mão na parte inferior da barriga e puxá-la para cima enquanto tocas no teu clitóris com a outra mão é maravilhoso para algumas mulheres, uma vez que pode criar uma tensão extra e um aperto na área vaginal.

Experimenta um lubrificante ou um gel estimulante

Os lubrificantes fazem com que cada toque seja extremamente suave e sedoso. É um produto simples e fácil de usar, mas que pode ter um grande impacto. O Durex Play Original, um lubrificante de fórmula suave à base de água, é uma boa maneira de começar.

Outros lubrificantes e geles adicionam sensações e efeitos adicionais. Durex Intense Orgasmic Gel aumenta a sensibilidade do clitóris, criando uma deliciosa mistura de calor, calafrios e sensação de formigueiro. Deita algumas gotas e descobre o que sentes...

Pode uma mudança na forma como respiras tirar-te o folgo?

Algumas mulheres sentem que ao mudar o padrão de respiração quando estão próximas do clímax, conseguem atingir o orgasmo no momento. Tem em atenção o que acontece quando respiras profundamente enquanto te tocas, ou quando estás a ofegar, ou a prender a respiração por um momento.

Descobre se um brinquedo te diverte

Os vibradores não só providenciam uma excitação incrível, como também, no caso dos maiores podem ajudar-te a tocares em partes internas de ti mesma que podem ser difíceis de alcançar sozinha apenas com os teus dedos. Investe num vibrador Durex Intense Orgasmic Pure Pleasure para estimulares o teu clitóris.

O que acontece em cima, afeta em baixo …

O teu cérebro é um dos órgão mais importantes envolvidos no teu prazer sexual. O que acontece na tua cabeça, afeta o que acontece na tua cama. Quanto mais relaxada, confiante e excitada te sentires mentalmente, melhor te vais sentir fisicamente.

Imaginar uma fantasia excitante pode levar-te a ficar excitada, por isso deixa a tua mente divagar… ler livros eróticos, ouvir música ou ouvir um audiolivro pornográfico podem ajudar-te a criar o humor certo e a aquecer a tua imaginação.

Por outro lado, interrupções ou distrações podem quebrar o feitiço e podem enviar-te automaticamente para a “zona de lamento”! Por isso: desliga o teu telemóvel. Dá toda a tua atenção a ti mesma.

Alix Fox

Alix Fox é uma jornalista premiada, locutora de rádio e educadora sexual. Apresenta o podcast sobre sexo do The Guardian -“Close Encounters”; é conselheira sexual residente no programa de televisão Modern Mann; e é consultora de sexo e relacionamentos na Durex. Podes encontrar artigos da Alix em publicações como Marie Claire, Glamour, Cosmo, LOOK, Time Out, Vogue, The Independent e muito mais, e colabora frequentemente com a Brook, um programa de caridade que trata a saúde sexual. Acredita fervorosamente que as conversas sobre sexo devem ser abertas e honestas e acha que todos deveriam ter acesso a informação fiável ​​que os ajude a tornarem-se pessoas mais livres, saudáveis ​​e sexualmente felizes.